Assunto: Minha Amiga…

Conforme minha promessa, estou enviando um e-mail contando as novidades da minha primeira semana depois de ser transferida pela firma para o Rio de Janeiro.Terminei hoje de arrumar as coisas no meu novo apartamento.Ficou uma gracinha, mas estou exausta. São dez da noite e já estou pregada.

Segunda-Feira: Cheguei na firma e já adorei. Entrei no elevador quase no mesmo instante que o homem mais lindo desse planeta. Ele é loiro, tem olhos verdes e o corpo musculoso parece querer arrebentar o terno. Lindooooo! Estou apaixonada. Olhei disfarçadamente a hora no meu relógio de pulso e fiz uma promessa de estar parada defronte ao elevador todos os dias a essa mesma hora. Ele desceu no andar da engenharia. Conheci o pessoal do setor, todos foram atenciosos comigo.
Até o meu chefe foi super delicado. Estou maravilhada com essa cidade. Cheguei em casa e comi comida enlatada. Amanhã vou a um mercado comprar alguma coisa.

Terça-Feira: Amiga! Precisava contar. Sabe aquele homem de quem falei?
Ele olhou para mim e sorriu quando entramos no elevador. Fiquei sem ação e baixei a cabeça. Como sou burra! Passei o dia no trabalho pensando que preciso fazer um regime. Me olhei no espelho hoje de manhã e estou com uma barriguinha indiscreta. Fui no mercado e só comprei coisinhas leves:biscoitos, legumes e chás. Resolvido! Estou de dieta.

Quarta-Feira: Acordei com dor-de-cabeça. Acho que foi a folha de alface ou o biscoito do jantar. Preciso manter-me firme na dieta. Quero emagrecer dois quilos até o fim-de-semana. Ah! O nome dele é Marcelo. Ouvi um amigo dele falando com ele no elevador. E ainda tem mais: ele desmanchou o noivado há dois meses e está sozinho. Consegui
sorrir para ele quando entrou no elevador e me cumprimentou. Estou progredindo, né? Como faço para me insinuar sem parecer vulgar?
Comprei um vestido dois números menor que o meu. Será a minha meta.

Quinta-Feira: O Marcelo me cumprimentou ao entrar no elevador. Seu sorriso iluminou tudo! Ele me perguntou se eu era a arquiteta que viera transferida de Brasília e eu só fiz: ‘U-hum‘… Ele me perguntou se eu estava gostando do Rio e eu disse: ‘U-hum‘. Aí ele perguntou se eu já havia estado antes aqui e eu disse: ‘U-hum‘. Então ele perguntou se eu só sabia falar ‘U-hum‘ e eu respondi: ‘Ã-hã‘. Será que fui muito evasiva? Será que eu deveria ter falado um pouco mais? Ai, amiga! Estou tão apaixonada! Estou resolvida!Amanhã vou perguntar se ele não gostaria de me mostrar o Rio de Janeiro no final de semana. Quanto ao resto, bem…ando com muita enxaqueca. Acho que vou quebrar meu regime hoje. Estou fazendo uma sopa de legumes. Espero que não me engorde demais.

Sexta-Feira: Amiga! Estou arruinada! Ontem à noite não resisti e me empanturrei. Coloquei bastante batata-doce na sopa, além de couve, repolho e beterraba. Menina, saí de casa que parecia um caminhão de lixo. Como eu peidava! (nossa! Você não imagina a minha vergonha de contar isto, mas se eu não desabafar, vou me jogar pela janela!).
No metrô, durante o trajeto para o trabalho, bastava um solavanco para eu soltar um futum que nem eu mesma suportava.
Teve um momento em que alguém dentro do trem gritou: ‘Aí! Peidar até pode, mas jogar merda em pó dentro do vagão é muita sacanagem!‘ Uma senhora gorda foi responsabilizada. Todo mundo olhava para ela, tadinha. Ela ficou vermelha, ficou amarela, e eu aproveitava cada mudança de cor para soltar outro. O meu maior medo era prender e sair um barulhento. Eu estava morta de vergonha.

Desci na estação e parei atrás de uma moça com um bebê no colo, enquanto aguardava minha vez de sair pela roleta. Aproveitei e soltei mais um. O senhor que estava na frente da mulher com o bebê virou-se para ela e disse: ‘Dona! É melhor a senhora jogar esse bebê fora porque ele está estragado!’.

Na entrada do prédio onde trabalho tem uma senhora que vende bolinhos, café, queijo, essas coisas de camelô. Pois eu ia passando e um freguês começou a cheirar um pastel, justo na hora em que o futum se espalhou. O sujeito jogou o pastel no lixo e reclamou:’Pó, dona Maria! Esse pastel tá bichado!’

Entrei no prédio resolvida a subir os dezesseis degraus pela escada.Meu azar foi que o Marcelo ficou segurando a porta, esperando que eu entrasse. Como não me decidia, ele me puxou pelo braço e apertou o botão do meu andar. Já no terceiro andar ficamos sozinhos. Cheguei a me sentir aliviada, pois assim a viagem terminaria mais rápido. Pensei rápido demais. O elevador deu um solavanco e as luzes se apagaram.

Quase instantaneamente a iluminação de emergência acendeu. Marcelo sorriu (ai, aquele sorriso…) e disse que era a bruxa da sexta-feira. Era assim mesmo, logo a luz voltaria, não precisava se preocupar. Mal sabia ele que eu estava mesmo preocupada. Amiga, juro que tentei prender. Mas antes que saísse com estrondo, deixei escapar. Abaixei e fiquei respirando rápido, tentando aspirar o máximo possível, como se estivesse me sentindo mal, com falta de ar. Já se imaginou numa situação dessas? Peidar e ficar tentando aspirar o peido para que o homem mais lindo do mundo não perceba que você peidou?

Ele ficou muito preocupado comigo e, se percebeu o mau cheiro, não o demonstrou. Quando achei que a catinga havia passado, voltei a respirar normal. Disse para ele que eu era claustrófoba.

Mal ele me ajudou a levantar, eu não consegui prender o segundo, que saiu ainda pior que o anterior. O coitado dessa vez ficou meio azulado, mas ainda não disse nada. Abaixei novamente e fiquei respirando rápido de novo, como uma mulher em estado de parto.

Dessa vez Marcelo ficou afastado, no canto mais distante de mim no elevador. Na ânsia de disfarçar, fiquei olhando para a sola dos meus sapatos, como se estivesse buscando a origem daquele fedor horroroso. Ele ficou lá, no canto, impávido. Nem bem o cheiro se esvaiu e veio outro.

Ele se desesperou e começou a apertar a campainha de emergência. Coitado! Ele esmurrou a porta, gritou, esperneou, e eu lá, na respiração cachorrinho.

Quando a catinga dissipou, ele se acalmou. As lágrimas começaram a escorrer pelos meus olhos.

Ele me viu chorando, enxugou meus olhos e disse: ‘Meus olhos também estão ardendo…’ Eu juro que pensei que ele fosse dizer algo bonito. Aquilo me magoou profundamente. Pensei:’Ah, é, FDP? Então acabou a respiração cachorrinho…’

Depois disso, no primeiro ele cobriu o rosto com o paletó. No segundo, enrolou a cabeça. No terceiro, prendeu a respiração, no quarto, ele ficou roxo.

No quinto, me sacudiu pelos braços e berrou: ‘Mulher! Pára de se cagar!‘.

Depois disso ele só chorava. Chorou como um bebê até sermos resgatados, quatro horas depois.

Entrei no escritório e pedi minha transferência para outro lugar, de preferência outro País.
Apague este e-mail depois de ler, tá?

Sua amiga Karoll.

http://www.mediafire.com/listen/jkq97huzauqbbzr/veronica.mp3

Nay Detonando no BC

Publicado: 6 de junho de 2013 em Amigos


Perguntei a um sábio,
a diferença que havia
entre amor e amizade,
ele me disse essa verdade…
O Amor é mais sensível,
a Amizade mais segura.
O Amor nos dá asas,
a Amizade o chão.
No Amor há mais carinho,
na Amizade compreensão.
O Amor é plantado
e com carinho cultivado,
a Amizade vem faceira,
e com troca de alegria e tristeza,
torna-se uma grande e querida
companheira.
Mas quando o Amor é sincero
ele vem com um grande amigo,
e quando a Amizade é concreta,
ela é cheia de amor e carinho.
Quando se tem um amigo
ou uma grande paixão,
ambos sentimentos coexistem
dentro do seu coração.

(William Shakespeare)

O Homem e a Mulher

O Homem e a Mulher

O Homem e a Mulher

O Homem é a mais elevada das criaturas.

A Mulher é o mais sublime dos ideais.
Deus fez para o Homem um trono;
Para a Mulher, um altar.
O trono exalta, o altar santifica.

O Homem é o cérebro,a luz.
a Mulher, o coração, o amor.
A luz fecunda; o amor ressuscita.

O Homem é o gênio,
a Mulher, o anjo.

O gênio é imensurável,
o anjo, indefinível.

A aspiração do Homem é
a suprema glória;

A aspiração da Mulher,
a virtude extrema.

A glória traduz grandeza;
a virtude traduz divindade.

O Homem tem a supremacia;
a mulher, a preferência.
A supremacia representa força.
A preferência representa o direito.

O Homem é forte pela razão;
a Mulher invencível pelas lágrimas.

A razão convence;
as lágrimas comovem.

O Homem é capaz de todos os heroísmos;
A Mulher de todos os martírios;
O heroísmo enobrece;
o martírio, sublima.

O Homem é o código;
a Mulher, o evangelho.
O código corrige;
o evangelho aperfeiçoa.

O Homem é o templo;
a Mulher, um altar.
Ante o templo, nos descobrimos.
Ante o altar, ajoelhamo-nos;

O Homem pensa;
a Mulher sonha.

Pensar é ter no cérebro uma larva;
Sonhar é ter na fronte uma auréola.

O Homem é um oceano,
a Mulher, um lago.
O oceano tem a pérola que adorna;

O lago tem a poesia que deslumbra.

O Homem é a águia que voa;
a Mulher, o rouxinol que canta.
Voar é dominar o espaço;
cantar é conquistar a alma.

O Homem tem um farol: a consciência;
A Mulher tem uma estrela: a esperança.
O farol guia, a esperança, salva.

Enfim…

O Homem está colocado

onde termina a terra;

A Mulher onde começa

o céu…

(Victor Hugo)

 

 

 

 

 

 

 

 

 

A carroça vazia

Publicado: 2 de outubro de 2012 em Mensagens, Reflexão
Tags:

A carroça vazia

Certa manhã, meu pai, muito sábio, convidou-me para dar um passeio no bosque e eu aceitei com prazer.
Ele se deteve numa clareira e depois de um pequeno silêncio me perguntou:
– Além do cantar dos pássaros, você está ouvindo mais alguma coisa?
Apurei os ouvidos alguns segundos e respondi:
– Estou ouvindo um barulho de carroça.
– Isso mesmo – disse meu pai – e uma carroça vazia.
Perguntei a ele:
– Como pode saber que a carroça está vazia, se ainda não a vimos?
– Ora – respondeu meu pai – é muito fácil saber que uma carroça está vazia por causa do barulho. Quanto mais vazia a carroça, maior é o barulho que faz.
Tornei-me adulto e até hoje, quando vejo uma pessoa falando demais, gritando (no sentido de intimidar), tratando o próximo com grosseria inoportuna, prepotente, interrompendo a conversa de todo mundo e querendo demonstrar ser a dona da razão e da verdade absoluta, tenho a impressão de ouvir a voz do meu pai dizendo:
– Quanto mais vazia a carroça, mais barulho ela faz…!
Pensem nisso!

Conta a lenda que uma vez uma serpente começou a perseguir um vaga-lume.

Este fugia rápido, com medo da feroz predadora e a serpente nem pensava em desistir.

Fugiu um dia e ela não desistia, dois dias e nada….
No terceiro dia, já sem forças o vaga-lume parou e disse à serpente:
– Posso lhe fazer uma pergunta?
– Não costumo abrir esse precedente para ninguém, mas já que vou te devorar  mesmo, pode perguntar.

– Pertenço a sua cadeia alimentar?
– Não.
– Eu te fiz algum mal?
– Não.

– Então, por que você  quer acabar comigo?

– Porque não suporto ver você brilhar!

    
“Pense nisso e selecione as pessoas em quem confiar.”
 

O Rei e as suas quatro esposas

Publicado: 1 de outubro de 2012 em Mensagens, Reflexão
Tags:,

Era uma vez… um rei que tinha 4 esposas.
Ele amava a 4ª esposa demais, e vivia dando-lhe lindos presentes, jóias e roupas caras.
Ele dava-lhe de tudo e sempre do melhor.
Ele também amava muito sua 3ª esposa e gostava de exibi-lá aos reinados vizinhos.
Contudo, ele tinha medo que um dia, ela o deixasse por outro rei.
Ele também amava sua 2ª esposa.
Ela era sua confidente e estava sempre pronta para ele, com amabilidade e paciência.
Sempre que o rei tinha que enfrentar um problema, ele confiava nela para atravessar esses tempos de dificuldade.
A 1ª esposa era uma parceira muito leal e fazia tudo que estava ao seu alcance para manter o rei muito rico e poderoso, ele e o reino.
Mas, ele não amava a 1ª esposa, e apesar dela o amar profundamente, ele mal tomava conhecimento dela.
Um dia, o rei caiu doente e percebeu que seu fim estava próximo.
Ele pensou em toda a luxúria da sua vida e ponderou:
— É, agora eu tenho 4 esposas comigo, mas quando eu morrer, com quantas poderei contar?
Então, ele perguntou à 4ª esposa:
— Eu te amei tanto, querida, te cobri das mais finas roupas e jóias. Mostrei o quanto eu te amava cuidando bem de você. Agora que eu estou morrendo, você é capaz de morrer comigo, para não me deixar sozinho?
— De jeito nenhum! respondeu a 4ª esposa, e saiu do quarto sem sequer olhar para trás.
A resposta que ela deu cortou o coração do rei como se fosse uma faca afiada.
Tristemente, o rei então perguntou para a 3ª esposa:
— Eu também te amei tanto a vida inteira. Agora que eu estou morrendo, você é capaz de morrer comigo, para não me deixar sozinho?
— Não!!!, respondeu a 3ª esposa.
— A vida é boa demais!!! Quando você morrer, eu vou é casar de novo.
O coração do rei sangrou e gelou de tanta dor.
Ele perguntou então à 2ª esposa:
— Eu sempre recorri a você quando precisei de ajuda, e você sempre esteve ao meu lado. Quando eu morrer, você será capaz de morrer comigo, para me fazer companhia?
— Sinto muito, mas desta vez eu não posso fazer o que você me pede! respondeu a 2ª esposa.
— O máximo que eu posso fazer é enterrar você!
Essa resposta veio como um trovão na cabeça do rei, e mais uma vez ele ficou arrasado.
Daí, então, uma voz se fez ouvir:
— Eu partirei com você e o seguirei por onde você for…
O rei levantou os olhos e lá estava a sua 1ª esposa, tão magrinha, tão mal nutrida, tão sofrida…
Com o coração partido, o rei falou:
— Eu deveria ter cuidado muito melhor de você enquanto eu ainda podia…
Na verdade, nós todos temos 4 esposas nas nossas vidas…
  • Nossa 4ª esposa é o nosso corpo. Apesar de todos os esforços que fazemos para mantê-lo saudável e bonito, ele nos deixará quando morrermos…

  • Nossa 3ª esposa são as nossas posses, as nossas propriedades, as nossas riquezas. Quando morremos, tudo isso vai para os outros.

  • Nossa 2ª esposa são nossa família e nossos amigos. Apesar de nos amarem muito e estarem sempre nos apoiando, o máximo que eles podem fazer é nos enterrar…

  • E nossa 1ª esposa é a nossa ALMA, muitas vezes deixada de lado por perseguirmos, durante a vida toda, a Riqueza, o Poder e os Prazeres do nosso Ego…  Apesar de tudo, nossa Alma é a única coisa que sempre irá conosco, não importa aonde formos…

  • Então… Cultive… Fortaleça…
    Bendiga… Enobreça… sua Alma agora!!!
    É o maior presente que você pode dar ao mundo…
    e a si mesmo. Deixe-a brilhar!!!

Quando tudo dar errado

Publicado: 1 de outubro de 2012 em Mensagens, Reflexão
Tags:, ,
O que se faz naquele dia em que  tudo parece dar errado?
Há quem diga: Levantei com o pé esquerdo.
Entende-se que quem assim fala,
acredita que um pé é mais valioso do que outro.
Esquece-se de que ambos os pés são preciosos,
pois que a base sobre a qual recai o peso do corpo,
sustentado pelas pernas.
De toda forma,
nesse dia em que tudo deve dar errado,
porque começou errado, o que fazer?
Primeiro: repelir a idéia de uma
perseguição de Deus aos Seus filhos.
As coisas não dão errado porque Deus quer.
Dão errado porque nós, os Seus filhos, agimos errado.
Vejamos.
Você levantou pela manhã atrasado?
De quem é a culpa? Não é do despertador,
que não soou o alarme, ou soou mais tarde.
A questão é sua, porque quem programa as funções
do aparelho é você.
Portanto, não há porque se zangar.
O que acontece, em seguida,
para o melhor ou para o pior, é sua decisão.
Você pode levantar de um pulo, pôr-se em pé,
sair às tontas do quarto e… se bater na porta, em um móvel.
Pensasse que nada traria de volta os minutos passados,
levantaria com calma e faria tudo com mais vagar.
Quando você está com pressa e tenta fazer várias
coisas ao mesmo tempo, tem muita probabilidade de algo
desagradável acontecer.
O leite transborda, sujando o fogão,
você se corta ao fazer a barba, o botão da camisa cai,
pela violência que você usa, tentando abotoá-lo.
Enfim, a lista é quase interminável.
E a culpa, com certeza, não é de Deus.
Faça tudo com calma.
O carro não dá partida?
Verifique o porquê e resolva, se possível, sem se estressar.
Perdeu o horário do ônibus?
Lembre que a sua ansiedade ou a sua irritação não fará o
próximo se adiantar.
Espere. Se preciso, avise seu superior,
sua chefia, seu cliente, do atraso.
Se perderá uma aula, uma prova, já perdeu.
De que adianta gritar, se zangar?
Nada trará de volta os minutos perdidos.
A palavra já diz: perdidos.
O trânsito está congestionado?
Não faça tolices, não viole as regras do bom motorista.
Tenha sempre à mão um livro, uma revista e aproveite o tempo.
A chuva o surpreendeu no caminho?
Aguarde um pouco. Tudo passa. A chuva também passa.
Aguardar um pouco não lhe deve causar maior preocupação.
Enfim,
em tudo seja responsável e pense que em suas mãos está
permitir que tudo ande nos eixos, ou não ande.
Tudo se resolva, a pouco e pouco, ou não.
Por fim, pense: não vale a pena perder minutos
preciosos da vida por estresse, irritação ou impaciência.
Deus quer a sua felicidade.
Colabore com Ele nesta conquista.